AlagoasPolicial

Policiais civis ocupam sede da Seplag para cobrança de envio de projeto de reajuste salarial

Dirigentes do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) ocuparam, na manhã desta quarta-feira (26), a sede da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), no Centro de Maceió, para cobrar o envio dos projetos de leis do reajuste salarial e da verba de vestimenta à Assembleia Legislativa.

Segundo o presidente do Sindpol, Ricardo Nazário, o secretário Fabrício Marques não realizou o envio dos projetos, mesmo com a determinação do governador Renan Filho. “Isso está prejudicando os policiais civis. O acordo era para que os projetos de leis já terem sido encaminhados ao Legislativo, mas até agora nada foi resolvido, o que tem causado transtornos à categoria”, mostra trecho da nota enviada à imprensa.

Os dirigentes do Sindpol informaram que vão permanecer na sede da Seplag até uma definição. “O Sindpol só vai sair da Seplag quando tiver um posicionamento do envio do projeto do reajuste e da verba da vestimenta”, comunicou Nazário.

O TNH1 entrou em contato com a pasta estadual e foi informado de que Seplag segue atendendo as categorias do Executivo de Alagoas para o alinhamento das demandas de carreiras. O órgão ressaltou que a mesa de valorização sempre esteve aberta para reivindicações dos representantes dos policiais civis. Por fim, a secretaria esclareceu que os encaminhamentos devem respeitar prazos legais.

Veja na íntegra:

“A Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag) informa que vem atendendo diversas categorias do Executivo alagoano para alinhar tratativas relacionadas as demandas de suas carreiras. A mesa de valorização sempre esteve aberta para discutir as reivindicações dos representantes das categorias da Polícia Civil.

A Seplag reforça, porém, que os encaminhamentos das decisões precisam respeitar os prazos legais para a sua efetivação”.

thn1.com

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo