DestaquePolítica

Apenas três deputados federais não devem mudar de partido em Alagoas este ano

Os políticos de Alagoas mantêm a tradição de mudar de legendas na abertura da janela partidária. Nas eleições deste ano, as movimentações parecem mais intensas. Seria apenas um dos reflexos da nova legislação eleitoral que acabou com as coligações partidárias e limitou o número de candidatos (100% das vagas mais um) que podem disputar as eleições em cada partido ou federação.

O fundo partidário, o fundo eleitoral, o tempo de rádio e TV e o potencial de votos da chapa é o o que move os pré-candidatos nessa altura do “campeonato”.

A bancada federal de Alagoas é um das menores do país, mas deve registrar, proporcionalmente, uma das maiores mudanças de partidos entre os parlamentares.

Salvo fato, os nove deputados federias vão disputar a reeleição, mas apenas três devem continuar nas mesmas legendas pelas quais foram eleitos em 2018.

É o caso de Paulão, do PT, Arthur Lira do PP e Isnaldo Bulhões, do MDB. Os trêsa seu favor a influência nos diretórios nacionais de seus partidos, que estão bem consolidados tanto no cenário nacional quanto local.

JHC segue no PSB, mas não vai disputar a reeleição porque deixou o mandato de deputado federal para assumir a prefeitura de Maceió.

O substitutito de JHC, Pedro Vilela não deve continuar no PSDB, partido que não tem mais chances de formar chapa competitiva para a eleição de federal em Alagoas este ano. Pode ir para o PSB ou União Brasil (recebeu também convites de outros partidos, a exemplo do MDB), dependendo do que for decidido por JHC e o senador Rodrigo Cunha, pré-candidato ao governo. O próprio Rodrigo, de acordo com especulações em alta no momento, poderá mudar de legenda.

Nivaldo Albuquerque saiu do PTB e se filiou ao Republicanos. O deputado federal Severino Pessoa continua, ainda no Republicanos, mas deve mudar nos próximos dias. Já teve várias possibilidades, desde formar chapa em um partido, passando por convites para ir para o União Brasil, PSD e MDB.

Marx Beltrão segue filiado ao PSD, mas se especula que deverá formar chapa no PP e disputar a reeleição ao lado de Arthur Lira.

Tereza Nelma já anunciou desfiliação do PSDB e deve confirmar a disputa pelo PSD de Rui Palmeira.

O deputado federal Sérgio Toledo está de saída do PL e abriu conversas com o MDB. Sua filiação ao partido, no entanto, ainda está no campo da articulação e poderá ser anunciada no final de semana.

A janela segue aberta. Até o dia 2 outros deputados podem mudar de partido, quantas vezes quiserem. Só dá para ter uma ideia real do quado político do Estado a partir de 3 de abril. Até lá, viveremos movimentações intensas, traições imensas e noites longas e angustiantes para quem precisa desesperadamente de um partido para chamar de seu.

Fonte: Blog do Edivaldo Junior

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo