Brasil/MundoDestaque

Grande Recife tem segundo dia de chuvas, ruas alagadas e transtornos

Moradores da capital e de Jaboatão dos Guararapes enfrentam trânsito complicado nesta quarta-feira (3). Apac aponta que deve continuar chovendo.

Moradores do Recife e outras cidades da Região Metropolitana enfrentaram dificuldades para sair de casa e circular pelas ruas em meio ao segundo dia seguido de chuvas, nesta quarta-feira (3). Ruas ficaram alagadas e transtornos foram registrados em diferentes pontos. Com isso, o trânsito também ficou complicado.

A terça-feira (2) também foi chuvas, que se concentraram durante madrugada e manhã no Grande Recife, e engarrafamentos. Uma casa foi interditada após um muro desabar.

A Agência de Águas e Clima de Pernambuco (Apac) alertou que, apesar de a previsão ser melhor do que a de segunda, deve continuar chovendo ao longo do dia.

“A chuva de hoje é mais distribuída e menos intensa [do que as de segunda-feira]. É mais moderada ao longo do tempo. […] Esse sistema que está atuando agora, que é uma Onda de Leste, dura geralmente dois a três dias. Deve terminar no dia de hoje”, declarou o meteorologista Roni Guedes.

No Recife, a equipe da TV Globo constatou que, antes das 6h, a Rua Imperial já tinha água acumulada e não dava para circular pelas calçadas. O Túnel Felipe Camarão, acesso para o Jordão, na Zona Sul da capital, estava mais uma vez alagado e interditado.

Às 6h, a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife registrou os seguintes pontos de alagamento:

  • Avenida Dois Rios, na entrada da Vila do Sesi;
  • Estrada dos Remédios, perto do Mercado de Afogados e sob o pontilhão;
  • Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes, próximo à Laser Eletro.

Os moradores de Piedade e do Conjunto Dom Hélder, em Jaboatão dos Guararapes, encontraram diversas ruas tomadas pela água logo cedo.

Na Rua Doutor Aniceto Varejão, corredor de ônibus e com grande circulação de veículos, carros e motos passavam com dificuldade. Os pedestres que se arriscavam tinham água acima da canela, já que as calçadas mais baixas também foram encobertas.

A situação também era complicada no acesso ao Conjunto Dom Hélder. Uma moradora relatou que foi dormir na casa de parentes, em Piedade, preocupada de não conseguir sair de casa devido ao alagamento, que faz parte da rotina em dias de chuva.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo